Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Androids & Demogorgons

TV KILLED THE CINEMA STAR

Androids & Demogorgons

TV KILLED THE CINEMA STAR

Station 19: Deixem-se 'Enganar' Como em «Anatomia de Grey» e Depois Queixem-se

Antes de deixar a ABC para se juntar à Netflix, Shonda Rhimes entrega um presente (envenenado) para fazer jus ao seu legado de mais de uma década: «Station 19» tem a capacidade de conquistar o público, e de desfazer as suas ilusões em segundos. Não é por acaso que, no Brasil, Shonda passou a ser conhecida por 'Shondanás'. Tudo o que a bem-sucedida produtora toca tem a capacidade de se autodestruir em segundos.  Depois não digam que não foram avisados.

 

1.jpg

 

Próxima paragem: Dramaland. Shonda Rhimes pode estar prestes a despedir-se da sua Shondaland, estabelecida durante mais de uma década com «Anatomia de Grey» e outras séries, como «Scandal» e «Como Defender um Assassino» [How to Get Away With Murder no título original], mas vai sair da ABC com um BANG. Após a estreia do outro lado do oceano, «Station 19», o anunciado spin-off de Grey's, chegou ontem à FOX Life Portugal e «For The People» tem encontro marcado no mesmo canal na próxima segunda-feira, 2 de abril. Se acham que «Station 19» tem uma história muito parecida à que lhe deu origem, estão certos! Stacy McKee aventura-se agora como criadora a solo, mas tem a escola de Shonda: escreveu, aliás, 33 episódios de «Anatomia de Grey» desde 2005, tendo sido promovida progressivamente até produtora executiva.

 

É certo que se torna inglório avançar com um spin-off de bombeiros quando «Chicago Fire» já repetiu a fórmula exaustivamente desde 2012, somando ao Quartel 51 séries sobre polícias e médicos, e um drama legal malsucedido. Mas quem tem «Anatomia de Grey» tudo pode, e é também por isso que «Station 19» traz a carga pesada logo no episódio piloto, com as participações super especiais de Chandra Wilson e Ellen Pompeo (Miranda Bailey e Meredith Grey). Será de esperar que a fórmula se repita, até pela proximidade natural entre os bombeiros e os profissionais médicos. Caminho inverso fez o ator Jason George, o cirurgião Ben Warren, que confirmou os rumores e se juntou ao elenco da nova série do universo Shondaland. Na série-mãe desde 2010, vem reclamar outro protagonismo em «Station 19», onde começa por ser o 'novato' e, consequentemente, um dos grandes responsáveis pela componente cómica.

 

3.jpg

 

Mas vamos ao que interessa. «Station 19» tem os ingrediente todos que fizeram a receita indestrutível de «Anatomia de Grey»: missões de alto risco, sexo e (muito) drama. Assim como é prática de Shonda Rhimes, a protagonista volta a ser uma mulher, desta feita Andy Herrera (Jaina Lee Ortiz, «Rosewood»), a filha do comandante da Station 19, Pruitt (Miguel Sandoval). Envolvida num relacionamento secreto com Jack Gibson (Grey Damon, «Star-Crossed», «Aquarius»), Andy continua à procura do seu lugar dentro da profissão e da sua vida pessoal, onde sempre jogou pelo seguro. Assim como Meredith na série-mãe, também a personagem de Jaina empresta a voz à narração do piloto, com uma analogia bem conseguida entre o que está a viver e as escolhas seguras que foi fazendo ao longo da vida. Quando deixa de as fazer, está tudo estragado, certo?

 

Mal damos conta e já estamos investidos na vida das personagens que se passeiam no pequeno ecrã [quem foi amiga e avisou logo no título deste texto?], tal como aconteceu com muitos dos seriólicos que ainda não conseguiram largar «Anatomia de Grey». O braço-direito de Andy tem pouco a ver com Cristina Yang (Sandra Oh), mas Maya Bishop (Danielle Savre) desempenha o mesmo papel que Yang na vida de Meredith Grey. Já o lado sexual de «Station 19» não é descurado, e também Andy promete ter umas quantas histórias para contar no final da temporada, que não se adivinha nada tranquila. Por um lado, o caso mal fechado com o melhor amigo da infância, o agente Ryan Tanner (Alberto Frezza), e a disputa pelo cargo de chefia com Gibson, que se preparava para pedi-la em casamento. Drama, drama, drama.

 

2.jpg

 

A minha maior dificuldade, admito, é ver Okieriete Onaodowan entre o cast, uma vez que fico à espera que ele largue um sonoro HERCULES MULLIGAN, tal como fazia a personagem que interpretou no cast original do popular musical Hamilton, idealizado por Lin-Manuel Miranda. Ainda assim, a série vale por personagens de segunda linha como Dean (Okieriete Onaodowan) e Victoria (Barrett Doss), que quebram o clima mais pesado e caraterístico de dramas nesta linha, brincando, pelo caminho, com vários estereótipos e ideias feitas acerca dos bombeiros. De resto, «Station 19» é uma aposta que corresponde ao género que Shonda Rhimes nos habituou, ainda que tenha de crescer muito para corresponder à qualidade de séries como «Como Defender um Assassino» e até algumas temporadas de «Anatomia de Grey».

 

 

 

mandar bitaite:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.