Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Androids & Demogorgons

TV KILLED THE CINEMA STAR

Androids & Demogorgons

TV KILLED THE CINEMA STAR

Riverdale SOS: Alguém Me Faça uma "Intervention"

Preciso de uma intervenção. Cliquei em «Riverdale» por curiosidade, para gozar com a série e nunca mais vi a luz do dia. Por Filipa

 

 

O meu primo que cresceu na Venezuela falou-me dos Archie Comics. Tem mais de 50 e vê a série porque se lembra da banda desenhada. Confiei. Ri-me daquilo nos primeiros episódios e agora aqui estou eu, a pedir ajuda. Reúnam os trocos, metam-se num comboio, tragam um banner a dizer Intervention, sedativos e umas cordas para me amarrar a uma cadeira.

 

gif1.gif

 

«Riverdale» é exatamente o que esperava. Péssima. Os personagens tipo do liceu, os pais, a cidade pequena, os crimes, tudo. Não há novidade nenhuma. Odeio cada episódio e levo a mão à cara umas 40 vezes em cada um deles. Como é que pode ser tão básico. Mas volto sempre.

 

Posso ou não ter uma crush pelo Jughead (Cole Sprouse). Isso explica-se pela genética. Quando o pai dele, FP, surgiu pela primeira vez, eu pensei: "Já fantasiei com este gajo". Skeet Ulrich. Demasiado velho para mim quando eu era adolescente, agora com um filho demasiado novo para esta mulher de 36 anos. Skeet Ulrich, a arruinar as minhas fantasias há mais de duas décadas.

 

Imagem 1.jpg

 

Quem não gosta do Jughead, quem não gosta do underdog, do rapaz tímido de barrete com issues a quem queremos dar colo? Não fomos todas iguais nos nossos teen years, mas aposto que muitas sabem do que estou a falar. Além disso, não existia futebol americano, só aulas de Educação Física mal dadas onde ninguém tinha qualidade de atleta. O que me me leva ao protagonista: Archie (K.J. Apa). Que irritante. Nunca fui bully, mas acho que mal ele entrasse na escola, dava-lhe uma chapada na boca. Porque é que ele tem de cantar? Porque é que ele é… da maneira que é? Que raio se passa de errado com este miúdo?!

 

Nem o elenco feminino se safa. Veronica (Camila Mendes)? Amigos, somos portugueses, as Veronicas são aos montes aqui, somos todas morenas de olhos escuros. Não é exótica. Não devia abrir a boca sequer. E a Betty (Lili Reinhart), que tem um lado negro. Sua doida! Sua… coisinha. Estou tão enervada com isto tudo… Josie (Ashleigh Murray)! Outra. E as Pussycats. Porquê arruinar músicas que são minimamente decentes? Ah! E vamos meter a Barb (Shannon Purser) de «Stranger Things» no papel de gorda tímida para não desconversar.

 

Gosto da Cheryl (Madelaine Petsch) porque é um boneco e do Kevin (Casey Cott). Estas personagens são sempre as mais fáceis de gostar porque são estereotipadas ao máximoO elenco adulto é um bando de atores e atrizes esquecidos nos anos 90 que alguém foi buscar ao armário das vassouras. São tão permissivos com os mais novos. Eu não me acredito que seja um espelho de uma realidade por mais pequena que seja.

 

Se eu andasse atrás do chefe da GNR da minha terra com teorias sobre crimes, ele não me dava informações e carta verde. Deixava-me uma noite na esquadra até os meus pais me irem buscar com uma palmada no cu guardada para quando ninguém estivesse a ver. Ou TODA a gente estivesse a ver. Depende da gravidade da minha estupidez.

 

Gif2.gif

 

Quase deixei de ver. Quase… quando uma miúda de 17 anos fez um striptease em frente à própria mãe. Nem foi isso que me chocou. O que me fez perder a cabeça foi o strip ter ocorrido ao som de uma versão rasca da música "Mad World".

 

Tenho noção que com a minha idade já não consigo identificar-me com nenhum personagem. Não com os adolescentes, embora aqui e ali recorde alguns momentos de peer pressure ou algo assim mais soft. Nada de crimes. Se visse metade, ainda estava em terapia. E não com os mais velhos porque não tenho filhos daquele tamanho que teimam em cantar mal, responder torto e fazer coisas estúpidas 24 horas por dia.

 

Depois de «Por Treze Razões», esta é a série mais tóxica que já vi para a faixa etária entre os 13 e os 17 anos. Se a primeira glamoriza o suicídio, «Riverdale» erra em tudo o que são relações entre pais e filhos, entre amigos, entre namorados, crescimento, amadurecimento e é irrealista. É tão podre. Adoro.

 

Um beijinho barely legal. Vou ver a série, xau.

 

P.S. Sabes que é grave quando o teu histórico do YouTube é este:

1.jpg